Poema do anojamento


nem alegrias
nem tristezas:

aquando
juízes trabucam como
atalaias e verdugos
a mercê dos imperialismos,
aparentemente caducos, mas,
a todo o momento,
de sobreaviso para o bote
(e sempre há a chande de mais um,
do próximo golpe.);

aquando
magistrados tramam
ódios contra
os pobres,
os oprimidos,
os subalternos e
os seus parcos representantes;

aquando
togados se convertem
nos mais vis
comissários da desordem;

aquando
os da Justiça pelejam
para encarcerar
a esperança.


anojamento.

 

direito destro (e) sinistro

1.

sonhos,

projetos,

trajetórias

incinerados.

.

 não é (do) direito,

é?

 

2.

esse

que oprime,

que tolhe,

que caça

e cassa.

 .

esse

que dissimula

e inventa

verdades.

.

esse

que produz

e fortalece

mentiras.

.

esse

que tiraniza

o direito que

alguém pensou

conquistado.

.

esse direito

destro-sinistro.

(GRITO!)

 

3.

direito

tão torto

nunca se viu um

como o da terra

de todas as castas

em convivência

democrática e pacífica.

.

o sociólogo o disse,

mas não rias, pois

o pobre do homem

de tão rico

nunca saiu da casa-grande

e sempre nos quis na senzala.

.

o homem foi capaz

de falar e construir teorias,

de prender-nos em laudas

que nos eram proibidas,

de fingir uma tal

de democracia das raças.

 

4.

crês nisto

de democracia?

eu nunca.

 .

e nisto

de governo

do povo?

.

não existe este

vocábulo

no dicionário?

.

será

de uma língua

morta?

.

será

de uma mão

que mata

a democracia

e algumas raças.

 

5.

CUIDADO!

.

praticantes de um direito

destro e sinistro

ameaçam-nos.

.

eles

golpearam-nos

a esperança de treze anos,

agora condenada

a decênios de quarentena,

a outros séculos de sofrimento.